Tendências na Área de Saúde

Aprenda mais sobre como a tecnologia pode ser usada para aumentar a qualidade dos Serviços em Saúde e aumentar a Segurança do Paciente. Fique ligado no Teltec Saúde.

Saúde digital: como a inovação tecnológica pode melhorar a área médica



saude-digital

A inovação está em alta em todos os segmentos e na saúde não é diferente. Segundo o portal MobiHealthNews, a saúde digital movimentou 197 milhões de dólares durante o mês de fevereiro deste ano nos Estados Unidos. Temas como big data, population health management, computação cognitiva e gamificação, que ainda são abordados de forma mais superficial aqui no Brasil, já são uma realidade em outros países do mundo e apresentam novas oportunidades de negócios.

Transformar a saúde por meio da tecnologia é uma das premissas do HIMSS, conferência anual que reúne profissionais de TI de saúde, médicos, executivos e fornecedores de todo o mundo. São mais de 40 mil participantes em busca de conhecimento sobre saúde digital e como as soluções tecnológicas podem aperfeiçoar a área médica. Sempre atenta às transformações ocorridas no segmento de tecnologia, a Teltec Solutions marcou presença no evento para participar do debate sobre as principais tendências em saúde e novas oportunidades.

O avanço da saúde digital

A utilização da nuvem para a saúde tem causado uma revolução que está fazendo os investimentos migrarem de hardware para software, focando em soluções para a gestão da doença, com foco nos pacientes. Com isso a tecnologia médica começa a evoluir, mesmo que a passos mais lentos aqui no Brasil e mais rapidamente em outros países. Quanto maior for a disposição em investir na saúde digital, melhores serão os resultados. Um exemplo são os hospitais norte-americanos que, segundo o médico e empreendedor Fernando Cembranelli, investem no mínimo 5% do orçamento com TI, número que deve crescer nos próximos anos.

O crescimento dos wearables

Os wearables devices, que são as tecnologias vestíveis que citamos aqui no blog com frequência tiveram um grande crescimento. Dados apresentados no HIMSS 2016 indicam que já são mais de 300 companhias em atividade e as tecnologias ganham cada vez mais espaço no comércio. São produtos para o monitoramento de dados de saúde e bem-estar, como: relógios, óculos, pulseiras, camisetas e aplicativos que podem desde monitorar a pressão arterial, índices de glicose, sinais vitais de gestantes, entre outros. Além de tornar a saúde digital, esses dispositivos promovem a prevenção de doenças e melhoram a experiência dos pacientes.

TI aplicada à saúde

O que também está em alta é a gestão de saúde da população (population health management), que agrega os dados de vários recursos tecnológicos em um único registro do paciente, simplificando o acesso à informação. A análise geralmente é feita por meio de business intelligence para criar um quadro clínico mais próximo da realidade, o que contribui para a saúde digital, melhora a qualidade do atendimento e reduz custos. A tecnologia cognitiva também se baseia na avaliação de dados, porém com uma linguagem mais natural, criando hipóteses baseadas em evidências, que é o que faz o Watson, da IBM.

Como você avalia a contribuição da TI para o segmento de saúde? Compartilhe conosco a sua opinião nos comentários.

 

Crédito de imagem:  perspec_photo88 via VisualHunt.com/CC


Categorias: Hospital sem Papel

Nuvem para saúde: uma realidade para cada vez mais hospitais


nuvem para saúde

A computação em nuvem é uma evolução irreversível, que tende a ganhar cada vez mais espaço nos ambientes corporativos. Um estudo divulgado pela Cisco revela que a adoção do cloud computing pelas organizações aumentou em 10% as receitas e reduziu 70% dos custos de TI. A nuvem para saúde ganhou força, principalmente após a implantação do prontuário eletrônico, para a guarda e manuseio de documentos e informações de pacientes. Leia mais…


Categorias: Hospital sem Papel

Tendências e perspectivas para tecnologias em saúde em 2016


tecnologias em saúde

A chegada de um novo ano é tempo de rever as metas e os objetivos traçados. Mesmo que o cenário ainda seja de crise e incertezas na área econômica, é possível aproveitar as oportunidades. Neste post reunimos algumas das tendências, perspectivas e desafios relacionados às tecnologias em saúde. Talvez este seja o caminho para o seu empreendimento se destacar na área médica e alcançar bons resultados em 2016.   Leia mais…


Categorias: Clínicas Médicas, Hospital sem Papel

Benefícios e cuidados sobre o monitoramento individual de saúde


monitoramento-individual

O mercado tem disponibilizado um grande número de wearables (dispositivos como relógios ou pulseiras inteligentes) e app para smartphones que usam biometria e monitoram alguns sinais vitais individualmente. As informações geradas por essa tecnologia poderão, no futuro, ser usadas pelas seguradoras de saúde. Leia mais…


Categorias: Monitoramento Automatizado de Temperatura e Umidade

Como hospitais devem usar as Avaliações de Tecnologias em Saúde (ATS)


ATS

Conhecimento é elemento fundamental para o uso de tecnologias na área da saúde de forma eficaz e segura. Para sistematizar a análise das diferentes ferramentas médicas foi criado o conceito de Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS), que é a síntese do conhecimento produzido sobre medicamentos, equipamentos e procedimentos técnicos, sistemas organizacionais, educacionais, de informação e de suporte e ainda os programas e protocolos assistenciais.

Leia mais…


Categorias: Clínicas Médicas

Os benefícios do prontuário eletrônico único e sua integração com smartphone


prontuario_eletronico

O uso de prontuários eletrônicos tem se difundido entre a classe médica no Brasil e, apesar de não haver levantamentos quantitativos sobre o seu alcance, essa automatização tem facilitado na organização dos consultórios e, principalmente, melhorado a qualidade do atendimento prestado aos pacientes. Até o Sistema Único de Saúde (SUS) já está seguindo essa tendência: em setembro, cinco mil unidades básicas de saúde aderiram ao novo sistema, alcançando cerca de 15 mil cidadãos, e o aplicativo do cartão nacional do SUS já está disponível para Android e iOS. É o que se está chamando de Prontuário Eletrônico Único. Leia mais…


Categorias: Digitalização de Prontuários e Imagens Médicas (ICP-Brasil)

Cintas inteligentes ajudam a monitorar sinais vitais de gestantes


cinta elastica

O acompanhamento pré-natal em uma gravidez é fundamental para prevenir problemas de saúde na mulher e no bebê. Ao monitorar os sinais vitais de uma gestantes é possível, por exemplo, evitar complicações no parto, controlar alterações dos organismos da futura mamãe e evitar partos prematuros e abortos espontâneos. A evolução dos gadgets (principalmente os wearables, como relógios e cintas) e dos aplicativos móveis está permitindo que esse controle seja feito online e de forma mais fácil, melhorando a dinâmica médica durante as gestações. Leia mais…


Categorias: Segurança do Paciente

Software ajuda a minimizar erros na classificação de risco de pacientes


Escala-Protocolo-de-ManchesterDesde setembro de 2014, após a publicação de uma resolução do Conselho Federal de Medicina, todos os serviços hospitalares de urgência e emergência, públicos e privados, estão obrigados a usar protocolo de classificação de risco no acolhimento dos pacientes.

A classificação de risco é a metodologia que define as prioridades clínicas nos serviços imediatos de saúde. Ao dar entrada no hospital, o paciente é avaliado de acordo com sua condição física e os sintomas apresentados. A partir dessa análise inicial, é gerado um relatório de estratificação, que indica qual o grau de complexidade do atendimento necessário e em quanto tempo ele será providenciado. Leia mais…


Categorias: Gestão Hospitalar

Como a TI pode apoiar o monitoramento de sinais vitais em hospitais


monitoramento de sinais vitaismonitoramento de sinais vitais é, provavelmente, um dos procedimentos mais comuns na rotina da enfermagem. Isso porque as alterações das funções corporais geralmente se refletem por meio de quatro indicadores: temperatura corporal, pulsação (ou frequência cardíaca), respiração (ou frequência respiratória) e pressão arterial. Nos casos críticos ou de observação rigorosa, como pós-operatórios de cirurgias cardíacas, esse sinais são monitorados de forma contínua, de modo a viabilizar um melhor controle pela equipe assistencial.

Com o desenvolvimento de novas tecnologias, o monitoramento remoto dos pacientes vem sendo considerado na literatura especializada como uma tendência irreversível, apesar de não estar disponível ainda em todos os estabelecimentos de saúde. Principalmente no caso das unidades de terapia intensiva (UTI), há desafios relacionados a custo, porque a maioria dos bons equipamentos para monitoramento de sinais vitais possui valor alto, o que os torna inacessíveis a alguns hospitais. Leia mais…


Categorias: Monitoramento Automatizado de Temperatura e Umidade

Como usar etiquetas RFID para o controle de medicamentos


RFID para o controle de medicamentosUm dos grandes e graves problemas dentro do ambiente hospitalar é a gestão de medicamentos. Em muitos estabelecimentos, os remédios de uso controlado ainda são administrados de forma manual, ocupando muito tempo de diversos profissionais. Para liberar os profissionais de atividades burocráticas como essa e aumentar o tempo disponível para o cuidado aos pacientes, é possível investir em soluções de RFID para o controle de medicamentos.

A tecnologia de identificação por rádio frequência (RFID) é uma alternativa aos códigos de barra, mas transmite as informações por meio de sinais de rádio, recuperando e armazenando dados remotamente por meio de etiquetas. Nos hospitais, esse sistema permite controle de setores que demandam gestão de estoque, como farmácia e almoxarifado, mas pode ser usado como forma de garantir a segurança do paciente e a legitimidade do trabalho dos profissionais.

Como funciona

Leia mais…


Categorias: Gestão Hospitalar